Treinamento de liderança: como treinar líderes para aceitarem críticas?

Treinamento de liderança: como treinar líderes para aceitarem críticas?

Desempenhar a função de líder demanda muitas habilidades técnicas e comportamentais. Para preparar bem os profissionais para o exercício desse papel, é importante desenvolver um bom treinamento de liderança. Nesse processo, você pode trabalhar o aprimoramento de diversas competências, e analisar mais profundamente soft-skills -atributos e competências pessoais- importantes como a responsabilidade e a capacidade de ouvir críticas.

treinamento de liderança

Estes talentos são fundamentais para que o colaborador seja um líder inspirador e que tem abertura para aprender com seus colegas. Por meio desses traços, o gestor demonstra disposição para o aperfeiçoamento contínuo e maturidade para lidar com o trabalho.

Quer saber como conduzir um treinamento de liderança estimulando as pessoas a lidarem bem com críticas? Confira o nosso post e saiba mais!

Por que é importante que o líder seja capaz de aceitar críticas?

Ser capaz de aceitar críticas permite que o gestor possa aprender com os colegas ao seu redor. O feedback de um parceiro pode ser um excelente apoio para que ele cresça cada vez mais. Além disso, ter abertura para receber comentários sobre a sua postura denota humildade e maturidade para reconhecer que você não é infalível, mas que o retorno de alguém pode ajudá-lo a aprimorar sua conduta.

Para que o profissional desenvolva essas habilidades, é fundamental que ele tenha um treinamento adequado, que lhe ensine uma ampla gama de competências. Um líder não precisa ser perfeito, mas deve ter disposição para sempre estar se aperfeiçoando e melhorando.

Como fazer um bom treinamento de liderança?

Para fazer um bom treinamento de liderança, é importante desenvolver diversos pontos nos profissionais. Confira a listagem dos principais a seguir:

1. Promova autoconhecimento

O líder precisa conhecer bem seus pontos fortes e fracos para que saiba como lidar com os desafios do dia a dia e para que conheça suas metas pessoais. Para isso, é fundamental realizar um trabalho de autoconhecimento no treinamento, para que o colaborador tenha consciência dos seus potenciais e limitações.

Dessa forma, ele pode buscar superar suas dificuldades utilizando os seus aspectos positivos. O gestor ficará fortalecido, de forma a saber usar seus recursos internos para enfrentar obstáculos e gerar bons resultados.

Essa habilidade também contribui com a aceitação de críticas. Se o profissional conhece a si mesmo, ele pode encarar feedbacks sobre sua conduta com maturidade, sem desvalorizar a si, mas sabendo dar a devida atenção ao comentário.

2. Foque na administração de conflitos

Um líder deve ser capaz de ser um mediador de conflitos, resolvendo divergências de uma forma conciliadora e viável para as partes envolvidas. Para isso, é importante que ele saiba ser imparcial e hábil para administrar o diálogo.

Dessa forma, é importante que o treinamento de liderança foque no desenvolvimento de competências em gerenciar discussões. O profissional deve ter criatividade e disposição para buscar extrair alternativas dos entraves e para ajudar as partes em conflito a construírem propostas válidas para todos.

3. Treine o líder para que ele desenvolva inteligência emocional

É importante que você inclua tarefas e atividades que envolvam o aprimoramento da inteligência emocional. Um bom líder tem competência para reconhecer seus sentimentos e lidar com eles. Esse processo é integrado ao autoconhecimento, mas vai além, pois envolve um saber mais profundo acerca das próprias emoções.

Invista nessa área no treinamento para desenvolver lideranças inspiradoras e capazes de compreender e lidar com seus traços emocionais. Dessa maneira, você irá formar gestores mais maduros, fortalecidos e preparados para aceitarem críticas.

4. Aprimore habilidades de comunicação

As aptidões comunicativas são fundamentais para que a liderança possa manter um bom relacionamento com os colegas e gerar processos integrados e eficientes. Além disso, o diálogo é uma das principais ferramentas de trabalho do líder, pois ele precisa conviver com pessoas, transmitir informações e deve fazer isso com clareza, confiança e objetividade.

O treinamento deve envolver o exercício da intercomunicação, desenvolvendo competências para uma fala coerente, correta, clara e próxima. Assim, o gestor tem mais facilidade no relacionamento com seus colegas e consegue passar uma boa impressão.

5. Aperfeiçoe as relações interpessoais

Uma liderança forte deve ser capaz de estabelecer relacionamentos saudáveis com a equipe, os clientes, outros gestores, superiores e parceiros estratégicos. Isso é importante para que ela seja uma facilitadora de processos.

Conhecendo bem os membros da organização, o gestor pode contar com apoio em momentos em que aparecerem entraves. Além disso, ele poderá fazer trocas positivas. Em um instante recebe ajuda e em outro, retribui o favor.

Assim, é possível progredir cada vez mais e formar uma rede de contatos sólida e de confiança. No treinamento, dê atenção para esta habilidade, pois ela é primordial para que o líder possa construir laços fortes na empresa.

6. Estimule a habilidade de ouvir

Uma boa liderança não só se comunica bem: ela também é capaz de escutar. Para isso, é necessário um exercício constante que envolve muita disciplina, tolerância e humildade para aprender a ouvir as pessoas.

Essa habilidade deve ser trabalhada por meio de vários exercícios práticos. Ela permite que o líder possa coletar mais informações do ambiente para ter uma visão mais completa e integrada das situações. Com isso, ele pode tomar decisões maduras e realmente contribuir com o cotidiano da corporação.

Além disso, saber escutar é um passo importante para que o gestor saiba aceitar críticas. Ao estar aberto para o que as pessoas têm a dizer, já há mais condições para que o profissional esteja preparado para aceitar o feedback do outro.

7. Incentive a resiliência

A resiliência é a habilidade de enfrentar adversidades, retomando o estado de equilíbrio inicial. Este deve ser um dos principais pontos a serem trabalhados em um treinamento de liderança, uma vez que uma boa liderança precisa dessa característica por ela enfrentar uma série de obstáculos no trabalho, diariamente.

O treino para gestores deve estimular o desenvolvimento dessa capacidade para preparar os participantes para suportarem a pressão e o estresse do cotidiano. Além disso, essa competência também ajuda na aceitação de críticas, pois o profissional pode superar o abalo que o feedback pode trazer, utilizando o que escuta de uma forma construtiva para se aperfeiçoar.

O treinamento de liderança é uma medida fundamental para preparar profissionais para o exercício de funções de gestão. É importante estimular o desenvolvimento de competências como a capacidade de ouvir críticas, comunicatividade, inteligência emocional, habilidade para administrar conflitos e resiliência.

Com esses traços, você certamente terá gestores fortes e hábeis para enfrentar os desafios que a empresa oferece. E então? Gostou de saber como fazer um bom treinamento de lideranças? Aproveite e deixe o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *