Mindset digital para o RH: um novo modelo mental para gestão de pessoas

Mindset digital para o RH: um novo modelo mental para gestão de pessoas

Você já deve ter ouvido falar em “revolução tecnológica”, não é mesmo? A nossa sociedade vem sendo preparada para enfrentar o que se chama de Quarta Revolução: um marco que promete mudar aspectos importantes tanto da configuração social em si quanto do indivíduo, internamente. 

Essa transformação alcança tudo aquilo que conhecemos, integrando as dimensões biológicas, físicas e digitais em um termo que explica toda essa abrangência: mindset.

O mindset é, em tradução literal, um novo modelo mental, que considera condições de trabalho, qualidade de vida, sustentabilidade, propósito e valor, dentro de um sistema de percepção que torna tudo isso importante para o funcionamento de qualquer interação, seja econômica ou social.

Com isso, as empresas precisam passar por um processo de adaptação, e não é diferente com o RH.

Para que você saiba mais sobre o assunto, neste texto, encontrará uma definição para mindset digital, o porquê ele é importante e como utilizá-lo no RH. Vamos lá?

O que é mindset digital?

Este termo designa uma nova forma de lidar com os negócios, tornando a mentalidade empresarial mais prática, dinâmica e criativa.

O mindset digital trata do uso de novas tecnologias que têm por finalidade levar as empresas a um novo nível de qualidade de experiência. Isso só é possível por meio das melhorias que visam à satisfação do cliente, seja ele externo ou interno, como no caso do RH.

O objetivo é romper com a mentalidade tradicional de negócios, transcendendo a capacidade física de atuar e possibilitando um crescimento exponencial em ambiente digital.

Com isso, passam a surgir novas preocupações com a customização da experiência para o cliente e o impacto na cadeia de valor do negócio.

Para o setor de RH, o mindset digital vem para reestruturar a mentalidade das equipes, tirando-as do papel de funcionários (ou empregados) e colocando-as como talentos únicos para preencher necessidades específicas dentro de um determinado ambiente, muito mais interativo, dinâmico e criativo.

A partir disso, são articulados novos objetivos comuns entre a empresa e os seus talentos, levando em consideração alguns fatores, como:

  • motivação;
  • propósito;
  • experiência;
  • engajamento;
  • satisfação;
  • transformação.

Tudo isso acontece por meio de plataformas digitais que possibilitam transformar os processos, gerando autonomia e estimulando a criatividade das equipes.

Por que é importante?

Para além do ônus da necessidade de adaptação, essa transformação no cenário empresarial gera inúmeros benefícios. Basicamente, em um ambiente com um mindset digital:

  • a comunicação torna-se muito mais fluída;
  • os processos acontecem em rede;
  • a tecnologia torna-se um ambiente de realização;
  • a burocracia é significativamente reduzida;
  • o tempo de execução de tarefas diminui expressivamente;
  • as equipes trabalham de forma colaborativa.

O RH pode tornar-se o agente transformador das experiências vividas pelas suas equipes, revolucionar a forma de estruturar os sistemas, os recursos humanos e os processos, por meio de plataformas totalmente digitais.

Como usar no RH?

Se você considera que os dispositivos móveis e a internet são os grandes responsáveis pelas mudanças no mindset para o RH, esqueça!

A responsabilidade está diretamente nas pessoas que fazem parte das equipes, e são elas que carregam a capacidade de mudar a forma de gerenciar o RH.

Confira 5 passos para preparar o ambiente para receber um mindset digital:

  1. Antes de apresentar seu planejamento para a implantação de um mindset digital para o RH, é preciso despertar um posicionamento visionário nos CEOs — afinal, ele não irá para frente se a alta direção não entender realmente qual é o seu propósito a ponto de apoiá-lo.
  2. Quando os ânimos estiverem favoráveis com a alta direção, é tempo de preparar a equipe de RH, seja com treinamentos, cursos, grupos de debate sobre tendências ou qualquer outra solução específica, ou seja, a equipe também precisa entender o processo.
  3. No momento em que a sua equipe estiver por dentro do que está por vir, é chegada a hora de planejar as ações que o RH pretende implementar, desde a seleção de ideias, escolha de ferramentas até o alinhamento com os objetivos do negócio.
  4. O próximo passo é implantar e acompanhar os processos, estabelecendo métricas (juntamente com a alta direção) que permitam controlar e medir as mudanças, sejam por adoção de ferramentas ou de novas tecnologias.
  5. Para estabelecer um “termômetro interno” de aceitação e desempenho da equipe, estabeleça diálogos abertos e, até mesmo, periódicos, seja para receber feedbacks sobre os impactos da nova mentalidade ou sobre novas ideias.

Feito isso, é hora de conferir alguns aspectos que podem ser mudados a partir do mindset digital para o RH.

Captação de talentos

Em uma abordagem digital, a captação e contratação de novos talentos dependem também do posicionamento das empresas em meios digitais.

O processo de contratação torna-se uma via de mão dupla, na qual, além de ser necessário o candidato apresentar um bom conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes, a empresa também precisa mostrar-se atrativa no mercado.

As mídias sociais são veículos eficientes para reforçar a imagem de uma empresa, além de ajudá-la a manter-se próxima aos seus potenciais talentos.

Com isso, há uma tendência emergente nos processos de captação integrados a redes sociais, que tem se tornado bastante efetiva, por razões como:

Liderança distribuída

Essa nova mentalidade traz consigo um modelo de liderança desafiador e muito mais abrangente: a liderança distribuída.

A proposta é de um movimento contrário ao de hierarquização autoritária dentro das empresas. Porém, isso não significa ausência de organização, pelo contrário, propõe uma organização em rede, na qual a liderança circula livremente em forma de inovação, autonomia e capacidade de mobilização.

Com isso, o resultado são relações de confiança entre membros de uma mesma equipe, baseadas na transparência e no beneficiamento mútuo, ou seja, na cooperação. Tudo isso ganha ainda mais força com os ambientes digitais integrados.

Ambientes digitais colaborativos

Apesar de ser uma tecnologia, o item anterior só se configura como uma transformação digital quando alinhado aos ambientes digitais colaborativos.

Esses ambientes, ou simplesmente sistemas colaborativos, são softwares que reúnem e integram processos e setores dentro de uma empresa, facilitando o trabalho e conectando ideias.

No entanto, os softwares são uma pequena fatia da transformação, que só ocorre a partir do momento em que a cultura empresarial se modifica.

Processos conectados

Pense agora em soluções inovadoras, como operações realizadas em tempo real, vídeo conferências, design thinking e sistemas em nuvem. O que tudo isso tem em comum? Conectividade. Os processos estão todos conectados, integrados e claros.

Seja pela análise de dados, usabilidade da internet ou quaisquer outras soluções tecnológicas, o RH precisa atuar em conjunto com a TI, ficando por dentro dos melhores recursos para otimizar a produtividade de suas equipes e aperfeiçoar sua experiência.

​Vários outros aspectos ainda são utilizados para melhorar o desempenho de equipes de RH com mindset digital, como:

Para o RH ser digital, as pessoas têm que ser digitais, e isso não acontece por meio exclusivo de ferramentas, mas também de comportamentos e de mudança de mentalidade, de um mindset digital.

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe-o nas suas redes sociais e auxilie na mudança de mindset dos seus contatos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *