Homem x máquina: como lidar com a resistência a mudanças no trabalho

Homem x máquina: como lidar com a resistência a mudanças no trabalho

 

No universo corporativo atual as empresas devem estar sempre atentas à mudanças e dispostas a se adaptar de acordo com as novas tecnologias. Embora essas novas ferramentas tenham surgido para facilitar o trabalho do homem, alguns ainda estão inicialmente indispostos a aceitar a inserção delas no dia-a-dia.

Abaixo nós listamos algumas causas prováveis pelos quais as pessoas ainda tem essa resistência à mudanças, principalmente em sua vida profissional, bem como dicas para lidar com isso!

Primeiro, é necessário entender o motivo da resistência à mudanças

É normal as pessoas apresentarem certa resistência, principalmente em sua vida profissional, pois há aqueles que preferem estabilidade, uma natureza previsível e rotinas estabelecidas de trabalho.

Principalmente colaboradores mais antigos podem sentir que as coisas estão funcionando bem, então as mudanças podem gerar certa ansiedade sobre o futuro deles na empresa, por ter “medo do desconhecido” ou não saber como usar as novas ferramentas no início.

Empregue estratégias para reduzir a resistência à mudanças

Para tentar vencer problemas relacionados com a resistência à mudanças, podem ser considerados os seguintes pontos:

Tempo da mudança

Se você tentar implantar uma mudança muito rápido, pode ser que tenha alguns problemas com adaptação, ou seja, mais resistência dos colaboradores. Para evitar isso, é importante que as mudanças sejam feitas gradualmente, para que a equipe possa se acostumar aos poucos, assim a produtividade não será interrompida.

Bastante comunicação

É a melhor estratégia quando se pretende implantar um novo método. Antes de colocar uma ferramenta para funcionar, faça um briefing com sua equipe, explique por que e para que aquela mudança está sendo feita, e peça a opinião deles. Envolvendo o time na mudança, é bem mais fácil a aceitação.

Fornecer recursos e treinamentos

Não basta apenas implementar uma nova ferramenta. Não importa o quão simples ela seja, você deve ficar atento para promover treinamentos, debates e aulas sobre qualquer mudança. Assim, quando finalmente for implementada, os colaboradores já não terão tanta resistência.

Por fim, o processo de implementação de algo novo deve ser natural e cuidadosamente gerenciado para não causar estranheza e resistência à mudanças. Se são feitas rapidamente e com pouca comunicação, a chance de dar errado é muito grande.

O fato é que toda mudança gera enquanto primeiro impacto emocional a incerteza, insegurança e o medo de se expor ao risco. Gerenciar estes tipos de emoção nos colaboradores pode se tornar uma tarefa mais simples quando a área de Recursos Humanos da empresa dispõe de um relatório comportamental, como o AssessFirst, que capta a singularidade destes traços em seus profissionais. Uma vez que você é capaz de identificar o quão aberto a mudanças o profissional está para se engajar na mesma, os resultados se tornarão muito mais fluidos.

Com 90 perguntas que podem ser respondidas em menos de 10 minutos, seu colaborador é avaliado com base em Big Data e People Analytics e além de identificar o quão aberto a mudanças ele é você vai ter uma visão mais abrangente de cada profissional.

Se tem dificuldades com isso, fale com a gente! Nossos especialistas do AssessFirst vão te ajudar com o processo de avaliação da sua equipe para desenvolvê-los ainda mais e tornar seu time mais produtivo! Conte com o Grupo Selpe!

Preencha o formulário para solicitar contato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *