Como saber se as recompensas e os benefícios para os gerentes estão justos?
Como saber se as recompensas e os benefícios para os gerentes estão justos?

Como saber se as recompensas e os benefícios para os gerentes estão justos?

Recompensas e benefícios são usados pelas empresas para atrair e reter seus colaboradores, sendo que os benefícios podem significar um diferencial na busca por um quadro de funcionários mais qualificado e competente.

Nesse cenário, é comum que o time gerencial tenha alguns benefícios extras, por conta da grande responsabilidade que recai sobre o cargo, principalmente com relação a metas.

Mas como montar um bom programa de recompensas e benefícios para os gerentes? Continue a leitura para descobrir!

Por que oferecer recompensas e benefícios pode atrair talentos?

O salário é o principal motivo da permanência dos funcionários na organização e também o principal desmotivador, pois a busca por melhor remuneração é algo permanente na vida profissional das pessoas, independentemente do nível hierárquico.

Contudo, um pacote salarial pode ser incrementado com recompensas e benefícios, que elevam a percepção da empresa como uma marca empregadora e que valoriza o funcionário.

Ao oferecer benefícios e recompensas, a empresa consegue atrair profissionais mais qualificados. Para algumas pessoas, um benefício como plano de saúde é tão importante que se torna um fator decisivo para motivar sua permanência na empresa.

Por isso mesmo, é comum encontrar profissionais que fazem o cálculo do salário considerando os benefícios que a companhia oferece. Assim, quando os benefícios são calculados, uma proposta salarial que parecia inferior pode se tornar interessante.

Nesse sentido, o pacote de benefícios é também um excelente motivador para os colaboradores, contribuindo de forma efetiva para a qualidade de vida dos funcionários e seus dependentes.

A empresa precisa oferecer benefícios que realmente sejam úteis para os colaboradores. Se os serviços prestados pelo plano de saúde, por exemplo, não atenderem as necessidades das pessoas, isso prejudica a imagem da empresa enquanto marca empregadora.

Por isso, os benefícios oferecidos devem ser confiáveis e precisam contemplar também os familiares dos colaboradores.

Como criar um plano de benefícios para todos os funcionários?

É importante avaliar o perfil dos funcionários para entender como eles são incentivados a produzir mais e melhor para, então, satisfazer a necessidade deles. Isso é relevante porque as preferências e o comportamento dos colaboradores tendem a variar conforme a cultura organizacional e o segmento empresarial no qual estão inseridos.

A equipe de colaboradores de uma startup, por exemplo, tende a ser completamente diferente da equipe de trabalho de uma indústria farmacêutica. É tarefa do setor de RH identificar os anseios dos funcionários para montar um plano de benefícios atraente e de acordo com a realidade da empresa.

Após esse levantamento, é hora de se reunir com um conselho formado pela liderança e representantes do corpo de funcionários para avaliar as diversas opções de benefícios. A decisão depende dos recursos disponibilizados pela empresa para reter e atrair os melhores talentos.

Entre os benefícios mais comuns estão: plano de saúde e odontológico, bolsa de graduação e pós-graduação, vale-refeição e/ou vale-alimentação, cursos internos de capacitação e treinamento, convênio em farmácia e auxílio combustível.

Quais recompensas e benefícios as empresas vêm praticando?

A maioria das empresas brasileiras oferece viagens e prêmios em dinheiro para os colaboradores que se destacam em vendas ou contribuem, de alguma forma, para o desenvolvimento da organização.

Para você ter uma ideia, aproximadamente 250 funcionários da Kimberly-Clark no Brasil ganharam uma viagem. O critério para a premiação foi o crescimento nas vendas. Colaboradores dessa mesma empresa ainda foram à Copa do Mundo na Alemanha e na África do Sul e viajaram para a Itália, Caribe e Dubai.

Já o Grupo RBS oferece prêmios aos colaboradores que contribuem de maneira significativa para a empresa. A avaliação é feita pelos próprios funcionários por meio de votação. Quem recebe a indicação dos colegas soma pontos e pode trocá-los por ingressos para programações culturais, cursos, produtos com a logomarca do grupo e até viagens. O programa começou em 2016 e somente naquele ano mais de 100 prêmios foram distribuídos aos funcionários.

Quais são os benefícios e as recompensas mais valorizados pelos gerentes?

Os benefícios oferecidos pelas companhias brasileiras não são exatamente aquilo que os gerentes gostariam de receber. Matéria publicada na revista Exame revelou que diretores e gerentes realmente desejam como benefício a participação nos lucros e apenas 63% dos entrevistados consideram que os benefícios oferecidos hoje pelas empresas são relevantes.

Para a pesquisa, foram ouvidos executivos de todas as regiões do Brasil, sendo a maior parte do Sul e Sudeste do país. Entre os entrevistados estão profissionais das áreas de saúde, recursos humanos, marketing, vendas, engenharias, suprimentos, construção, tecnologia da informação, finanças e jurídico.

Entre os engenheiros, por exemplo, a maioria argumentou que a participação nos lucros é o benefício mais desejado. No entanto, pouco mais da metade deles tem direito a isso. A mesma questão acontece nas áreas de vendas e finanças, em que a maioria dos executivos prefere receber uma porcentagem dos lucros.

Mas, afinal, como saber se as recompensas e os benefícios para os gerentes estão justos?

Primeiramente, é importante avaliar o quanto a empresa está disposta a investir em diferenciais para os gerentes, como a concessão na participação nos lucros. Com base nos valores disponibilizados, será possível adequar a realidade do mercado com aquilo que a organização realmente pode pagar.

Também é válido pesquisar entre as empresas do seu segmento para saber quais são as diretrizes que elas usam para estabelecer as recompensas e os benefícios para os gerentes.

Um parâmetro muito importante é uma pesquisa com empresas da região onde a organização atua, já que não faz sentido estabelecer uma política muito superior ao que o mercado regional oferece se, por exemplo, a atuação gerencial for local.

É fundamental haver coerência para não oferecer benefícios demais para um grupo seleto de colaboradores, ou seja, elevar os benefícios gerenciais em detrimento daqueles oferecidos aos demais funcionários. Para tanto, as políticas de benefícios devem ser muito bem definidas pela empresa.

Mas o principal é avaliar o desempenho dos gerentes para que o pacote de benefícios e recompensas oferecido pela empresa se justifique. Dessa forma, o bom senso aliado às pesquisas de mercado levarão você a estipular recompensas e benefícios ideais para o seu corpo de gerentes.

Se você gostou deste post, siga-nos no Facebook e LinkedIn para acompanhar mais conteúdos como este!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *