Como a gamificação ajuda nos processos de seleção para estágio e trainee?

Como a gamificação ajuda nos processos de seleção para estágio e trainee?

Você já ouviu falar em gamificação? Esse é um conceito que tem sido fomentado, principalmente, pelas organizações empresariais. De acordo com uma pesquisa feita pela empresa M2 Intelligence e divulgada pelo jornal O Estado de São Paulo, esse fenômeno vai movimentar 5,5 bilhões de dólares no mundo em 2018.

Ficou impressionado? Gostaria de conhecer esse método e aprender como usá-lo em sua empresa? Então você está lendo o artigo certo!

gamificacao ajuda processos de selecao estagio e trainee

O que é gamificação?

A gamificação consiste em utilizar técnicas científicas que estimulam e ampliam o comportamento humano por meio da aplicação de elementos de um jogo em alguns processos da empresa. Para isso, são criados games atrativos que proporcionam uma experiência diferenciada e envolvem os participantes, fazendo-os interagir e revelar a sua verdadeira personalidade.

O imprevisível, tão incomum nos tradicionais programas de treinamento e seleção, é o segredo do sucesso da gamificação. Com base nas reações dos participantes, as instituições conseguem, por exemplo, descobrir se um funcionário têm as competências exigidas para ocupar uma determinada função, como a de liderança.

A aplicação dessa metodologia não exige grandes investimentos tecnológicos. O importante é dominar a técnica e aplicá-la de forma criativa e aderente ao público e ao objetivo do processo seletivo.

Além disso, a gamificação tem sido muito eficiente também nas áreas de recrutamento e desenvolvimento de colaboradores. Em vista das vantagens apresentadas, muitas empresas têm implantado esse conceito em seu ambiente interno. Quer saber como? Continue acompanhando.

Como os jogos podem ser usados nas empresas?

Atualmente, a geração millenium — jovens que nasceram na época da internet — está ingressando no mercado de trabalho. Esse público é altamente digital e acostumado com um mundo mais dinâmico. Além disso, a realidade dos games está presente em seu cotidiano, e eles amam fazer uso dela.

Para atrair e reter esses jovens profissionais, as instituições estão conseguindo se adaptar ao universo deles por meio da gamificação. Vejamos alguns exemplos:

Atração de talentos

Sem candidatos não há processo seletivo, certo? Pensando nisso, organizações apostam na gamificação para conquistar a atenção da geração mais jovem de profissionais.

De acordo com um artigo do jornal A Folha de São Paulo, os trabalhadores mais novos sentem-se atraídos por empresas que tem um ambiente desafiador e que os estimule o tempo todo com projetos inovadores.

Sendo assim, quando esse público percebe que uma instituição utiliza o moderno método da gamificação, já na fase da escolha de candidatos para trabalhar em seu ambiente interno, logo se apresenta para uma vaga.

Como consequência, a empresa ganha visibilidade no mundo corporativo e começa a subir no ranking da preferência dos profissionais.

Recrutamento e seleção

Algumas empresas estão abandonando de vez os métodos clássicos de recrutamento e seleção que utilizam cadernos, apostilas etc. Em vez disso, estão usando os jogos. Um exemplo é a L’Oréal, que utiliza esse método há mais de uma década.

O processo segue as seguintes etapas: todo ano, a empresa seleciona uma de suas marcas que será o alvo de uma competição. Nela, os participantes terão de desenvolver um produto inovador, dentro da linha de produtos já existentes, para um público-alvo.

Durante dois meses, os escolhidos para o projeto precisam se comportar como o líder de uma marca que não só desenvolve o produto, mas faz pesquisas de mercado e, com base nelas, direciona as estratégias de marketing e divulgação.

Essa competição é disputadíssima e a equipe vencedora ganha prêmios e participa de uma nova disputa a nível internacional. No entanto, o foco do jogo não é o projeto, mas os estudantes: os participantes são avaliados e os que têm o melhor desempenho são contratados pela empresa.

Programas de Estágio e Trainee

Muitos profissionais iniciam a sua carreira por meio de um programa de estágio ou traineer. Porém, não é fácil conseguir uma vaga nessas funções. O motivo disso é que as organizações são bem criteriosas na escolha dos candidatos, pois uma seleção mal feita pode levar a empresa a investir dinheiro na pessoa errada.

Para evitar um desacerto na contratação, muitas instituições estão usando a gamificação na seleção de profissionais a uma vaga de traineer ou estágio. Como é o caso das empresas:

  • Banco Mercantil,
  • MRS Logística,
  • Lojas Rede, e
  • Magnesita S/A.

Essas organizações têm comemorado os bons resultados. Entre eles estão:

  • a assertividade nas admissões;
  • a possibilidade de mensurar o nível de engajamento dos participantes; e
  • a constante aplicação de técnicas inovadoras

Nesses projetos, a partir de um desafio proposto, os participantes puderam vivenciar um “social game” onde compartilharam suas principais experiências profissionais e de vida.

Durante essa dinâmica, um robô virtual esteve presente, e os candidatos precisavam traçar estratégias junto à sua equipe para chegar ao resultado final do jogo. Por meio da solução atingida, os consultores e Rh’s conseguiram mapear as competências essenciais das empresas, como:

  • trabalho em equipe;
  • comunicação;
  • planejamento;
  • visão estratégica;
  • resolução de problemas;
  • envolvimento dos candidatos no processo.

Além dessas instituições, a multinacional KPMG — líder na prestação de serviços profissionais — também está colhendo os benefícios desse método. Em um processo seletivo feito na época da copa do mundo do Brasil, a instituição usou um jogo virtual chamado Game Copa KPMG, que é um simulador de voo panorâmico em um balão.

Nesse game, o candidato fazia paradas em escritórios da empresa e nas cidades onde haveria competições durante o evento esportivo. Ao longo dessa pausa, o participante respondia a perguntas sobre a instituição e a copa do mundo.

Em cada acerto, o candidato ia acumulando pontos e melhorando seu posicionamento no processo seletivo.  Ao mesmo tempo, os recrutadores avaliavam o desempenho e o quanto o participante estava informado sobre o evento mundial e a cultura da empresa.

Depois de analisar tantos casos de sucesso, com certeza você deseja que a sua organização tenha os mesmos resultados. Sendo assim, permita que a sua empresa tenha essa ferramenta incrível para melhorar os seus processos de seleção. Se fizer isso, você terá os melhores talentos em seu negócio!

E então, conseguiu perceber como a gamificação pode ajudar no processo de seleção de talentos para a sua instituição? Queremos saber sua opinião, deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *