6 dicas essenciais para ter assertividade em processos seletivos

6 dicas essenciais para ter assertividade em processos seletivos

Ter sucesso durante a contratação de um novo talento para sua equipe é o grande objetivo de gestores de pessoas e empresários. Sabemos que o processo de recrutamento e seleção não é uma tarefa simples, é necessário muito conhecimento e competência para ter assertividade em processos seletivos.

Essa assertividade se torna ainda mais necessária quando olhamos para os custos do processo. Alguns recursos são destinados às atividades essenciais para a contratação de um profissional e envolvem investimentos financeiros e de pessoal.  

O resultado da falta de assertividade em processos seletivos comprometem todo o andamento da empresa e podem prejudicar o negócio em vários âmbitos.

6 dicas essenciais para ter assertividade em processos seletivos

Consequências da baixa assertividade em processos seletivos

Alto índice de turnover: o desfecho mais comum da falta de assertividade em processos seletivos é a ocupação de cargos por pessoas sem o perfil da vaga ou que não combinam com os valores da empresa.

Isso resulta em turnover organizacional, ou seja, a rotatividade de pessoas em determinado cargo da empresa. Essa rotatividade prejudica todo o andamento do planejamento e, além disso, gera a necessidade de novos processos seletivos, o que significa: novos gastos.

Aumentos de custos: o aumento de custos é a segunda consequência da baixa assertividade em processos seletivos. Não são poucos os gastos com impostos para dispensar um colaborador e colocar outro no lugar.

Para mais, é preciso olhar a queda de produtividade gerada pela ruptura de um profissional com a equipe e com os processos rotineiros. O custo com o tempo dos envolvidos na atividade de Recrutamento e Seleção também precisa ser levado em conta.

Assim, se a contratação é feita de forma equivocada será necessário outro processo e novo investimento, de tempo e financeiro.

Comprometimento da imagem da empresa: hoje em dia há uma grande circulação de informações pela internet, há sites especializados em reter comentários de ex-trabalhadores de empresas para orientar os pretendentes a cargos. As organizações também estão preocupadas em passar uma imagem de boas empregadoras para atrair os melhores talentos para seus times.

Dessa forma, se não há assertividade em processos seletivos as chances de encontrar reclamações e abalar a reputação da empresa aumenta.

Agora que as consequências da baixa assertividade em processos seletivos ficaram claras, chegou a hora de aprender como evitar problemas e ter bons resultados durante o recrutamento e seleção.

Preparamos algumas dicas básicas, para orientar essa atividade em sua empresa.

Dicas para alcançar assertividade em processos seletivos

1. Entenda de forma detalhada a vaga oferecida

A vaga que será oferecida tem a função de resolver algum gargalo operacional, assim, antes de anunciar é preciso estudar as necessidades do setor e entender cada detalhe do cargo que será ocupado pelo profissional.

Para compreender essa demanda é aconselhável conversar com o responsável pela abertura da vaga, normalmente o gestor da área, buscando detalhar os requisitos que devem ser preenchidos. Se a vaga é para a substituição de profissional, um bom começo é pesquisar sobre as atividades que eram realizadas pelo antigo empregado.

Neste momento é fundamental que você construa um perfil ideal junto ao gestor da área, esse perfil será importante na hora de planejar o processo seletivo.

2. Faça o planejamento de todo processo seletivo

O processo será composto por quantas etapas? Quantos profissionais serão avaliados? Quais serão as formas de avaliação? Qual o prazo para o fechamento da vaga?

Essas são algumas perguntas que devem ser respondidas no planejamento. Estabelecer os métodos, os prazos e as etapas é fundamental para ter assertividade em processos seletivos. Todas as informações que foram captadas na etapa de pesquisa devem ser levadas em conta para a construção da melhor metodologia que será a base do R&S.

3. Anuncie a vaga corretamente

Na hora de divulgar a vaga é preciso muita atenção. Deve deixar claro todos os requisitos fundamentais para o preenchimento do cargo. Além disso, é preciso que seja definido a melhor forma de divulgação, para isso é necessário entender em qual local o profissional desejado se encontra. Está nas redes sociais? Sites específicos de procura de empregos?

O anúncio será o primeiro contato entre o profissional e a empresa, portanto é preciso ter cuidado. Quanto maior o número de informações importantes, maior será o filtro que você colocará, atraindo apenas os candidatos com perfil desejado.

Veja este post e entenda como anunciar uma vaga corretamente. 

4. Tenha cuidado com a triagem de currículos

Essa é uma etapa de suma importância para o sucesso da atividade. Com o perfil ideal em mãos, os requisitos indispensáveis e o planejamento, é hora de analisar os currículos recebidos.

A análise deve ser feita de forma minuciosa, buscando o match entre os dados do candidato e as informações fornecidas pelo gestor da área do começo. Não há um número comum de currículos que devem ser aprovados, o importante aqui é levar adiante apenas os profissionais que apresentam características necessárias para a vaga.

Algumas informações como geolocalização e experiências também devem ser observadas e pontuadas nessa etapa, pois podem ser pontos de desempate na hora das entrevistas.

5. Elabore entrevistas eficientes

O objetivo das entrevistas é conhecer melhor o candidato. Por isso é preciso saber as perguntas que serão feitas e as atividades que serão necessárias.

Evite questões óbvias, que podem ser respondidas de forma simplista ou que já fazem parte dos manuais que ensinam candidatos a se portarem em entrevistas. Pense em questões que relacionam a vaga com a empresa, possibilitando que a experiência do profissional seja colocada em um contexto próximo da organização.

Entrevistas servem para avaliar conhecimentos, traços de personalidade e objetivos de vida do candidato. É preciso usar a criatividade e buscar sempre colocar os objetivos da empresa dentro das questões.

6. Use testes e provas técnicas

Testes e provas são excelentes ferramentas para avaliar a capacidade técnica do candidato e garantir a assertividade em processos seletivos. O indicado é desenvolver, em parceria com o gestor da área, algumas atividades do dia a dia do setor que podem ser executadas pelos candidatos, possibilitando a avaliação das competências profissionais.

Bônus: Conte com o auxílio da tecnologia

Hoje em dia existem ferramentas que ajudam o profissional de Recrutamento e Seleção a implantar um processo assertivo. Há ferramentas para auxiliar em cada etapa, automatizando atividade e otimizando o processo.

O Assessfirst possibilita que o profissional responsável pelo R&S conheça os candidatos além dos currículos. Com indicadores sobre as capacidades técnicas e comportamentais, a ferramenta aumenta a assertividade em processos seletivos, ajudando a encontrar o melhor profissional para a vaga.

Outra tecnologia importante é o Recrutamento Inteligente, que gerencia todas as etapas de Recrutamento e Seleção, fornecendo dados precisos sobre cada atividade. O RI permite que o processo seletivo seja realizado em menos tempo e de forma mais assertiva possuindo, inclusive, possibilidade de integração com o Assessfirst.

Não sabe o que é um recrutamento inteligente? Veja neste post do Blog do RI. 

Quer conseguir assertividade em processos seletivos da sua empresa? Entre em contato com quem é referência no mercado. Converse com o Grupo Selpe.

Preencha o formulário para solicitar contato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *