14 hábitos para se tornar uma pessoa extremamente agradável
14 hábitos para se tornar uma pessoa extremamente agradável

14 hábitos para se tornar uma pessoa extremamente agradável

14-hábitos-para-se-tornar-uma-pessoa-extremamente-agradável

Todos nós nos preocupamos com o que os outros pensam e queremos ser queridos por eles. O básico para fazer com que as pessoas gostem de você é óbvio – seja legal, atencioso, seja um ser humano decente. No entanto, também há muitas coisas menores e mais discretas que você pode fazer que podem ter um enorme efeito sobre a forma como os outros te veem.

A maioria dessas dicas são bem fáceis e você pode implementar todos os dias. Elas podem parecer insignificantes ou mesmo bobas, mas dê uma chance e você vai acabar se tornando extremamente agradável e muito mais popular.

1. Chame as pessoas pelo nome

Vamos admitir: nós amamos quando somos chamamos pelo nosso próprio nome. Aprenda os nomes de seus colegas de faculdade, dos seus colegas de serviço, até mesmo dos vizinhos e faça uso deles. Sempre use o nome de um indivíduo em uma conversa.

2. Sorria!

Como humanos, usamos a interação social como uma ferramenta para feedback e fazemos muitas escolhas conscientes e subconscientes com base em como os outros se envolvem na nossa conversa e nos respondem.

Quando alguém oferece um sorriso enorme cheio de autenticidade, a felicidade é automaticamente captada pelos seus receptores cerebrais. Muitos estudos mostram como o humor, seja positivo ou negativo, se espalha entre indivíduos. Se sua atitude positiva ilumina o dia de outra pessoa, essa pessoa vai adorar você por isso.

3. Ouça (não apenas com os ouvidos)

Começa com o fato de ignorar seu feed do Facebook enquanto sai com os amigos, mas vai muito além disso. Você pode mostrar que você está ouvindo alguém através da linguagem corporal (posicionando seu corpo de frente para ele), bastante contato visual e confirmação verbal.

4. Use a confirmação verbal

A maioria dos livros de psicologia chama essa técnica de “escuta ativa”. A escuta ativa gira em torno de realmente demonstrar suas habilidades de escuta, repetindo segmentos do que um indivíduo disse para você. Por exemplo:

Maria: Fui em um evento de degustação de cerveja durante o fim de semana, eu provei várias cervejas de todo o estado.

Você: Então você experimentou muita cerveja diferente, hein?

Maria: Sim, foi muito divertido. A minha favorita foi a Brasil Kirin.

Você: A Brasil Kirin foi sua favorita? E como ela era?

Maria: Sim! Ela era bastante encorpada e tinha um sabor maravilhoso.

Enquanto na forma de texto isso parece uma conversa estranha, isso faz com que o outro sinta como se você estivesse realmente prestando atenção.

5. Mostre que você está prestando atenção

Nós já falamos da importância de mostrar às pessoas que você está ouvindo. Bocejar enquanto a pessoa fala ou um olhar desinteressado não vai resultar em uma nova amizade.

Para realmente mostrar a alguém que você está prestando atenção, tente trazer um tópico que a pessoa mencionou anteriormente. Seu colega de trabalho falou sobre trabalhar com seu filho em um projeto de feira de ciências na semana passada? Acompanhe e pergunte como foi. Seu amigo disse que iria pintar sua cozinha de uma nova cor durante o fim de semana? Pergunte se ele gostou da nova cor na segunda-feira. Não precisam ser grandes eventos que mudam a vida. Na verdade, às vezes, isso demonstra que você pode se lembrar e mostrar interesse até nos pequenos acontecimentos da vida de outra pessoa.

6. Faça elogios sinceros

Como observado pelo famoso especialista em auto aperfeiçoamento Dale Carnegie, o que as pessoas realmente querem é uma admiração sincera – para serem reconhecidas e apreciadas pelos seus esforços.

As pessoas adoram ser elogiadas e, isso é mesmo uma surpresa? Quando um indivíduo faz algo certo, diga isso e não será esquecido.

7. Tenha tato

As pessoas podem ter egos delicados e mesmo uma pequena crítica pode ferir o orgulho de alguém. É claro que a correção será necessária às vezes, mas sempre deve ter um propósito e ser tratada com cuidado. Se alguém comete um erro, não exponha essa pessoa na frente de um grupo. Seja discreto e delicado. Considere oferecer primeiro elogios, é uma estratégia bem eficaz. Por exemplo:

“Esse modelo de boletim informativo que você enviou parece ótimo, bom trabalho. Então, parece que houve alguns erros numéricos nesse relatório recente que você enviou – apenas certifique-se de verificar esses números. Eu também queria dizer-lhe para manter as excelentes coisas que você publicou no Facebook – eu tenho visto um grande impulso no engajamento.”

Seu objetivo deveria ser, realmente, conseguir que a outra pessoa reconhecesse os erros sem que você os apontasse. Mesmo no exemplo acima, você poderia simplesmente dizer: “Eu vi alguns erros numéricos nesse relatório recente que você enviou” e aguardar uma resposta. Se o indivíduo responde com desculpas e promete não errar mais, não precisa estender o assunto. Quanto menos apontar os dedos, melhor.

Outra estratégia para as correções de dispensação diplomática é começar por discutir seus próprios erros antes de cavar em erros de outra pessoa. Em última análise, tente ser sempre gentil com críticas e apenas fazê-las quando for realmente necessário.

8. Evite dar ordens

Ninguém gosta de ser mandado. Então, o que você faz quando precisa que algo seja feito? A verdade é que você pode ter o mesmo resultado se fizer uma pergunta ou fazendo um pedido. O resultado vai ser o mesmo, mas o sentimento e a atitude do indivíduo vão variar muito dependendo da sua abordagem.

Indo simplesmente de “João, eu preciso desses relatórios hoje à noite. Leve-os o mais rápido possível” para “João, você acha que poderia me enviar esses relatórios nesta tarde? Seria uma grande ajuda” faz muita diferença.

9. Não seja um robô

As pessoas gostam de ver autenticidade. Enquanto a doutrina empresarial clássica empurra a importância de uma postura alfa (ombros endireitados, queixo erguido, aperto de mão forte), é fácil parecer falso.

Em vez disso, tente ser confiante, mas respeitoso. Alguns especialistas em cooperação sugerem avançar em direção a uma pessoa dobrando ligeiramente para frente quando você é apresentado, em um gesto de arco.

10. Conte histórias

As pessoas adoram uma boa história, e grandes histórias exigem contadores sofisticados. A narrativa é uma forma de arte que requer compreensão da linguagem e do ritmo. Domine a boa tradição oral da narração e as pessoas vão sempre querer estar próximas de você.

11. Contato físico

Este é um pouco complicado, porque, obviamente, precisa ser feito de uma maneira adequada. No entanto, um toque físico sutil torna os indivíduos mais conectados a você. Um ótimo exemplo é tocar suavemente o antebraço de alguém (com a mão esquerda) ao apertar as mãos (com a mão direita) – é uma ótima maneira de terminar uma conversa. Nem todos vão se sentir à vontade com esta estratégia e, se não é para você, está tudo bem.

12. Peça conselhos

Pedir um conselho é, surpreendentemente, uma ótima estratégia para que as pessoas gostem de você. Essa simples atitude mostra que você valoriza a opinião do outro e demonstra respeito. Todo mundo gosta de se sentir necessário e importante. Quando você faz com que alguém se sinta melhor com si mesmo, essa pessoa certamente acabará gostando de você por isso.

13. Evite clichês

Vamos concordar que a maioria de nós não gosta de pessoas aborrecidas. Elas são chatas e terrivelmente desinteressantes. Em vez disso, nós gostamos do incomum, o único, às vezes até o bizarro.

Um grande exemplo de situações em que é importante evitar clichês é em entrevistas. Ao invés de mostrar o “prazer em conhecê-lo” na conclusão de uma entrevista, adicione algum tipo de variação para ser memorável, mesmo de forma minúscula. Experimente algo como “eu realmente gostei de falar com você hoje” ou “Foi um verdadeiro prazer aprender mais sobre [a empresa].” Você não precisa reinventar a roda – seja você mesmo.

14. Faça perguntas

Fazer perguntas a outras pessoas – sobre suas vidas, seus interesses, suas paixões – é uma maneira infalível de obter pontos em seus livros de amizade. As pessoas, às vezes, são egocêntricas – eles adoram falar sobre si mesmas. Mesmo que a conversa, realmente, não dê à outra pessoa uma razão para gostar de você, ela pensará melhor de você subconscientemente apenas por se dedicar a conhecer sua história.

E então, gostou das dicas? Elas foram desenvolvidas por Larry Kim, o CEO da Mobile Monkey e fundador da WordStream. Se quiser saber ainda mais sobre esse assunto, é só assinar nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *